terça-feira, 29 de setembro de 2009


"O medo pode aprisionar-te.
A esperança liberta-te."

The Shawshank Redemption é um dos filmes mais extraordinários da face da terra, apesar das suas esporádicas falhas. É daqueles filmes que precisamos de ver em alturas de crise mundial, como a que estamos a viver agora, quando o pessimismo e o cinismo reinam, e quando qualquer manifestação de optimismo é escorraçada com um sarcasmo veemente.

Andrew Dufresne (interpretado por Tim Robbins) é um pouco como todos nós - tem de lamber botas, levar porrada, levar no cu, passar 2 meses a fio na solitária, e fazer a sua fuga no meio da merda do esgoto (literalmente), para atingir a liberdade. É extremamente difícil atingi-la, todos na prisão de Shawshank a consideram impossível, mas quem tem esperança sempre alcança.

Andrew Dufresne é uma certeira homenagem à força de vontade dos grandes homens deste mundo, e à capacidade de acreditar num mundo melhor ("I have a dream", Martin Luther King, Abraham Lincoln, Gandhi, etc.), inspirando a nossa vida (a vida das pessoas normais), fazendo-nos acreditar que vale sempre a pena lutar e seguir o seu exemplo.

Talvez pelos obstáculos com que Dufresne se depara se assemelhem muito aos nossos problemas ao longo da vida, The Shawshank Redemption vem em 1º lugar na lista dos filmes mais apreciados pelos espectadores, no imdb. E a isso, eu tiro o meu chapéu, faço uma vénia ao público, pela escolha. The Shawshank Redemption pode não ser o melhor dos filmes, ser algo longo, andar a rondar os clichés na parte inicial(as obrigatórias cenas do refeitório, da integração no grupo, dos sodomitas) e ter um final algo inacreditável em que todo o mal é castigado; mas, se conseguirmos passar à frente desses elementos, temos um filme iluminado, que apela ao melhor que há na nossa alma.

Há uma elite de críticos em Portugal (e no mundo) que gosta de ridicularizar alguns dos gostos da "populaça"; mas acontece que, apesar do povo eleger muitas vezes políticos corruptos, no fundo, somos todos seres que acreditamos no poder do Bem, e acreditamos na capacidade do Homem em se entreajudar para alcançar a Liberdade, bem como na nossa capacidade em influenciar pela positiva todas as pessoas que estão à nossa volta.
Não tenho a certeza se The Shawshank Redemption merece estar em 1º lugar na lista de 250 melhores filmes de sempre, mas uma coisa sei eu - compreendo perfeitamente porque lá está, e porque o público o escolheu para figurar na lista. E isso, agradeço a toda a Humanidade.

Sem comentários: