sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Rendi-me ao Blu-ray


Há uns poucos anos, fiquei aborrecido com a chegada do DVD - ter que comprar um leitor de um novo formato, quando tinha tantas cassetes com boa qualidade de imagem; não fazia muito o meu género, iria pesar na minha bolsa se o fizesse. Além disso, encontrava diversas vezes (e ainda hoje encontro) edições de filmes mais antigos com uma imagem baça, totalmente vergonhosa, praticamente igual à das cassetes que tenho nas estantes. Mantive-me na minha, indiferente à publicidade exagerada em torno do DVD, e comprei poucos exemplares nesse formato desde então, uns 50 talvez, sendo que muitos me foram oferecidos ou saíram em jornais.

Há poucos dias, tive a oportunidade de dar uma vista de olhos ao Blu-ray de Zulu, um clássico dos 60's com Michael Caine, e devo dizer que o Homevideo quando foi criado há coisa de 30 anos, foi exactamente para se chegar a este ponto - o da perfeição. Esqueçam tudo o que viram para trás noutros formatos pseudo-nítidos. O Blu-Ray veio finalmente trazer justiça ao caos do mercado de DVD - os filmes antigos finalmente têm tão boa qualidade de imagem quanto os modernos. A parte que eu vi do filme, correspondia à de uma batalha com soldados vestidos de vermelho - talvez nunca me tenha sentido tão dentro de um filme desde o Senhor dos Anéis, quando o vi na sala de cinema, e talvez nunca tenha visto casacos vermelhos tão reais, só mesmo ao vivo.

Por falar em Senhor dos Anéis, deslumbrem-se com este clip, da terceira parte da trilogia, O Regresso do Rei. É a espectacular cena em que o Hobbit e Gandalf acendem o farol a pedir ajuda aos reinos vizinhos, ao som da inultrapassável música de Howard Shore. Experimentem mudar o vídeo para HD (carregando no botão junto ao som) e vejam a diferença. Só uma palavra - Wow!

Sem comentários: