sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Conclusão principal da minha investigação...

...sobre a cultura audiovisual da década de 60: Na altura, eles já tinham tudo para fazer grandes obras de arte, não tinham nem mais nem menos do que temos hoje.

Há uns anos, não dava muita importância à década de 60, preferindo décadas como as de 30 e 40 (as décadas dos meus avós), considerando que havia melhores filmes nessa época, mas desde que voltei a dar uma chance à década de 60, reparo que esta não estava atrás das outras, em termos de Arte e de Música. Da mesma forma que uma pessoa pode ler o Guerra e Paz e ainda sentir emoções a correrem pela espinha acima, podemos ver um filme ou programa de tv da década de 60 e, se o produto é genuinamente bom e com temas universais e intemporais (como o amor, tolerância, justiça, fraternidade), podemos vibrar tanto como num produto de hoje em dia. Mesmo que não tenha os efeitos especiais de hoje. Vão por mim, existem tantos filmes interessantes no passado como hoje em dia - é só conseguirmos arranjar algum tempo para perceber a época histórica primeiro, para nos localizarmos, e depois partirmos à aventura.

Sem comentários: