quinta-feira, 27 de maio de 2010

O visionamento de Afirma Pereira - que não é um filme do outro mundo, mas tem alguns cenários de exteriores impressionantes, uma recriação de época razoável, e o saudoso Mastroianni num dos seus últimos papéis - fez-me pensar em como foi preciso virem italianos filmar um período da nossa História que não tem sido devidamente abordado no nosso Cinema, a década de 30 do Estado Novo. Que se anda a fazer aos dinheiros para a ficção nacional?

Sem comentários: