domingo, 13 de junho de 2010

Remember, remember the Fifth of November

Apesar de em pequeno gostar bastante de banda-desenhada, em adulto os comics deixaram de ser um medium que eu admirasse muito, à excepção de uma ou outra obra. No geral, acho que as BD's, mesmo as consideradas adultas, são muito derivativas, pretensiosas, e excessivamente masturbatórias com alguns autores a navegarem em obsessões pessoais de forma exibicionista.

Mesmo assim, a minha distância em relação a esse mundo, não me impediu de disfrutar V for Vendetta, que estreou em 2006 sob muita polémica, pela sua alegadamente apologística visão do terrorismo, no advento dos atentados de Londres.

Apesar do filme acabar com a destruição das casas do parlamento e do Big Ben, de acordo com o projecto original de Guy Fawkes, a explosão é apenas simbólica, não se enaltecia a destruição de monumentos históricos - destruía-se o establishment, a opressão sobre as massas, e a ditadura orwelliana.

O filme é um autêntico grito de liberdade para o século 21, e uma chamada de atenção ao que poderá acontecer, se as pessoas não tomarem atenção e permitirem que os governos e as televisões controlem as suas vidas. E é também um dos melhores filmes desta década.

Sem comentários: