quinta-feira, 26 de agosto de 2010

A futilidade do Ensino #3

Continuando a minha jornada no passado, e os apontamentos mais ou menos autobiográficos, devo dizer que nem todo o Ensino é fútil em Portugal. o Ensino Primário é bastante bom, estudam-se coisas que devem ser estudadas - Português, que é essencial para falar e escrever; Matemática, porque é imprescíndivel no nosso dia-a-dia; e Estudo do Meio (que creio deveriam ser alargadas as temáticas e carga horária), em que se dá Geografia, um bocado de Ciências, e se dá História, para além de formar um sentido de identidade nacional.

Não obstante, levanto o meu caso contra o Ensino Preparatório, que continua muito rígido, com os mesmos escritores, os mesmos autores dados ao longo das 2 últimas gerações, para além de procurar aprisionar os alunos dentro das suas paredes, sem se preocupar em ocupar de forma útil o tempo útil dos mesmos. Enquanto estão lá dentro fechados, podia-se apostar mais na Educação Cívica, Ética, bem como no Ensino Artístico (constantemente menosprezado) com Música, Dança, Expressão Teatral, etc.

Em vez disso, a maior parte das escolas pura e simplesmente não sabe o que fazer com os alunos, deixando-os na maior parte das vezes entregues a si próprios. Será este um Ensino credível para os nossos dias?

Sem comentários: