sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Regresso à infância (V)

Nunca me habituei muito a B.D's de super-heróis, achando-os um bocado como as telenovelas - prometendo muito mas contando pouco, constantemente adiando maiores emoções para o capítulo seguinte. A minha colecção não chega aos 20, creio, sendo que muitos foram oferecidos por família e amigos.

Não obstante, habituei-me cedo a requisitar albuns de Banda-Desenhada nas Bibliotecas Municipais, como tal cedo me comecei a fascinar por mundos como os de Tintin, Blake & Mortimer, Asterix ou de Lucky Luke.

Mas a B.D. que mais indelevelmente me marcou, enquanto indivíduo, foi a série XIII, editada pela Meribérica-Liber. A trama é baseada nos livros da série Bourne, da autoria de Robert Ludlum: um homem amnésico é acolhido por uma série de pessoas, que subsequentemente acabam assassinadas; e ele vem a descobrir que no passado havia sido um assassino contratado para matar o presidente dos EUA!
A série XIII ainda hoje se lê bem, enquanto adulto: tem um magnífico estilo de desenho, uma intriga excitante e plena de mistério, momentos de acção e de perseguição, e consegue muitas vezes ser mais excitante do que os próprios filmes da série Bourne.

O único senão, é que a editora Meribérica-Liber lançou os livros a uma velocidade de caracol, e acabou por falir em 2004! - o primeiro volume traduzido em português foi lançado em 1988, e apenas foram lançados no nosso mercado 9 volumes dos 19 originais.

2 comentários:

Joao Franco disse...

eu costumava comprar imensas comics...axo k junto com os livros, os bonecos de acçao e os playmobil eram o meu refugio.

A minha mae diz que começei a ler Bds com 4 anos....e axo k é um bichinho que ainda hoje me atrai.

Mesmo que ja nao compra tantos como outrora gosto sempre de saber as noticias.

Quanto aos albuns tambem lia muito Asterix, Luxcky Luke, mas nao era um fa acerrimo.

No entanto gostava muito dos TEX, uma bd italiana de cowboys....

Ainda tou para ler Corto Maltese.....

Ricardo Martins disse...

Ena, o Tex! Eu acho que cheguei a ler alguns dele.

O Corto Maltese li ainda uns 2 ou 3 álbuns, mas sinceramente nunca entendi bem a devoção de tantos fãs.