terça-feira, 14 de junho de 2011

Uma entrevista a um grande mister


O meu amigo Victor Hugo, que para azar de todos nós não é muito dado a estas lides de blogs, tem carregado algumas preciosidades que tem lá por casa para o YouTube, como é o caso desta entrevista de Herman José a Christopher Lee numa edição do Parabéns do ano de 1996, que na altura não tive oportunidade de ver.

A entrevista não é brilhante. Herman não parece suficientemente preparado para ela, e para alguém que se diz fã de Lee, não sabe alguns factos essenciais (como o facto dele ser primo de Ian Fleming). Além disso, Herman deixa muitas vezes o seu ego ultrainflamado vir ao de cima, como na parte em que começa a competir com Lee a ver quem sabe falar mais línguas, rasando mesmo a má educação; e a conversa alonga-se um bocado demais em obsessões pessoais do humorista, como Hitler.

Os excertos escolhidos também não são os melhores - tirando The Man With The Golden Gun, não me parece que Airport 77 e o Gremlins sejam propriamente a melhores demonstrações da mestria do actor.

Não obstante, neste valioso documento videográfico temos a oportunidade de reconfirmar o saber estar, a humildade e a sabedoria de Christopher Lee, de ver o que o faz um grande senhor do nosso tempo e de todos os tempos, aquele tipo raríssimo de velhos com quem queremos estar a ouvir episódios e histórias, durante horas a fio. A história que ele conta sobre Boris Karloff é uma autêntica lição de vida, e um conselho máximo para qualquer que seja a via profissional que escolhamos.

De destaque ainda é a duração da entrevista - cerca de 45 minutos - algo inimaginável nos tempos de hoje em televisão, em que se está sempre a cortar a palavra ao convidado com observações parolas ou interrupções surreais.

Sem comentários: