quarta-feira, 5 de outubro de 2011


Confesso: sou fã de Tintin. Creio que não há grande vergonha nisso, pois os fãs em todo o mundo ascendem aos milhões. Relendo O Lótus Azul, volvidos estes anos todos, constato o génio contido na escrita e nos desenhos aparentemente simples de Hergé. Naquela aparente estória juvenil de quadradinhos está contido um herói de grande valor, e uma ética plena de ensinamentos para todas as gerações.

Sem comentários: