sexta-feira, 18 de novembro de 2011

A classe jornalística que temos


Este vídeo tem andado a circular na net, e nem sempre é analisado de forma correcta.

Por um lado sim, talvez o Ensino esteja pior, mas por outro como diz um comentador na página do Youtube, e com muita razão - gostaria de ver o resultado quando fizerem o mesmo tipo de teste a jornalistas e ministros e depois de editar só mostrar as respostas erradas...

A coisa mais fácil do mundo é encontrar gente estúpida. Podemos encontrá-la não apenas em Portugal, mas também em Inglaterra e nos EUA. O mais difícil e digno de valor é encontrar pessoas únicas.

sábado, 12 de novembro de 2011

Exterminador 3: O poder da cona


Era assim que se devia ter chamado o terceiro filme do franchise norte-americano originado por James Cameron. Ao conseguir ver pela primeira vez o filme, desde a sua remota estreia em 2003, o que me ocorreu foi que o filme era uma espécie de O Sexo e a Cidade cruzado com os dois primeiros filmes, ou seja uma espécie de gaja super boa robótica que vinha do futuro para perseguir John Connor e dar porrada em Arnie Shwarzenegger. Os homens que se cuidem.

O filme ainda nem 10 anos tem e já parece tão tolo...

The city that never sleeps...


Este vídeo descobri graças ao meu irmão. Trata-se de um fantástico roteiro turístico sobre uma das mais bonitas cidades portuguesas... Mem Martins!

Recomenda-se

Algumas visitas a este blog, que abriu recentemente, e vem fixar a tinta na Internet alguns dos rostos do crime, corrupção e da maldade em Portugal. Para um país que tem fraca memória, nada como reavivar de vez em quando a recordação de alguns dos actos mais vergonhosos que se fizeram por cá, e que a justiça deixou passar praticamente incólumes.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Non disturbare



Pois tenho estado a jogar Murder on the Orient Express, a versão em pc da obra homónima de Agatha Christie. Não é para pessoas impacientes que só querem acção, este é um jogo com muitos diálogos e pouco movimento; mas se forem (tal como eu) grandes fãs da ficção da autora, esta é uma oportunidade imperdível de revisitar os universos misteriosos e as personagens dúbias criadas pela maior escritora de policiais de sempre.

sábado, 5 de novembro de 2011


Quem me conhece, sabe que eu adoro os EUA e que um desejo pessoal há muito alimentado é conhecer aquele país, que influenciou a minha geração, bem como os nossos costumes ainda hoje em dia.

Mas, mesmo os fãs mais aguerridos da nação do tio Sam não podem negar que esta é a visão que uma larga fatia dos americanos têm do resto do mundo.