domingo, 1 de julho de 2012

O que João Lopes se esquece, é que os jornalistas não pensam grande coisa quando fazem as perguntas. Fazem-nas, independentemente do sentido, e mesmo que dêem a resposta na pergunta. O jornalismo português, salvo raríssimas excepções de alguns repórteres com mais experiência e/ou sabedoria, prima pelo óbvio e pelo cliché. Não acrescenta nada, mas tem de se fazer ouvir.

Sem comentários: