quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Vivre sa Vie é um filme estarrecedor. E intemporal. É engraçado que, à medida que os anos vão passado, os filmes de Jean Luc Godard que mais vale a pena ver e rever são os primeiros, pela frescura, ousadia, e capacidade de marcar indelevelmente as nossas mentes. Impossível esquecer a cena da dança em Band à part, impossível deixar de lembrar o "Vraiment deugeulasse" no À Bout de Souffle.

Vivre sa Vie segue o percurso da jovem prostituta Nana, a sua vida, as suas dúvidas, e pessoas que encontra. Raras vezes a câmara se desloca do belo rosto de Anna Karina. Raras vezes teve o cinema um poema de amor tão maravilhosamente filmado.

1 comentário:

Andreia Mandim disse...

Fantástico filme, não é à toa que o cinema francês é ainda um dos poucos que cultiva a sua originalidade.

Também gostei do seu espaço.
Obrigada por ter passado pelo meu.

cumprimentos,
cinemaschallenge.blogspot.com