quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Lula e Sailor amam-se, mas a mãe de Lula odeia Sailor e manda-o assassinar. Sailor defende-se e mata o assassino, esmagando a cabeça dele contra o chão, acabando por ir parar à prisão por vários meses. Mas quando sai, o amor dos dois continua a ser ameaçado pela mãe e por gangsters contratados pela mesma.

Este é apenas o ponto de partida de Wild at Heart, um dos filmes mais alucinados de David Lynch, espécie de road movie, filme de fuga de dois apaixonados, misturado com alegoria a Wizard of Oz, em que não faltam a bruxa boa e a bruxa má, a yellow brick road e milhentos personagens estranhos, tão típicos do mundo mental do realizador.

Difícil de catalogar, excepto com o adjectivo lynchiano, é mais um daqueles filmes que tem que ser visto para se acreditar.

Sem comentários: