quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Violência terapêutica

Os anos 70 foram uma época estranha para o cinema, pois simultaneamente fizeram aparecer algumas das obras mais sublimes da História, como The Godfather, Star Wars, Taxi Driver, como também algumas das coisas mais pirosas, como o cinema blaxploitation, e o cinema de acção camp da moda.

No entanto, há alguns tesouros por descobrir e dar o devido valor, tal como Straw Dogs, realizado em 1971 pelo esquecido Sam Peckinpah. O filme narra a estória de um jovem casal, ele um matemático americano, ela uma inglesa bastante sexy, que vão morar para a terra dela, uma terra de costumes fechados. As coisas começam a complicar-se quando os homens da terra começam a assediar a mulher, e a humilhar o marido, o que não é ajudado pelo facto dela vestir roupas ousadas para aquele local. Tudo se irá despoletar de forma explosiva no final violento, em que o marido não aguenta mais o bullying e irá libertar os seus instintos mais primários.

Brilhantemente interpretado por Dustin Hoffman, como o marido nerd e pacato, e pela loira Susan George, uma bomba sexual inglesa dos anos 70, o filme é capaz de testar muitas sensibilidades, mesmo das pessoas que não costumam ver filmes dessa época.

O aspecto que eu achei mais ousado no filme, mais do que as cenas sangrentas e o sexo, foi o facto de a violência trazer uma espécie de reconciliação ao casal, com a mulher claramente admirada pela afirmação de masculinidade do marido, ao libertar finalmente os seus instintos animalescos.

Não é politicamente correcto, mas é brilhante.

Sem comentários: