sábado, 23 de fevereiro de 2013

O passado e o presente

Há pessoas que não ligam muito a voltar a ver filmes, para elas uma vez chega. Outras apreciam o revisionamento dezenas de vezes (Bénard da Costa é um caso exemplar). Eu respeito o primeiro grupo para aqueles filmes que basta uma vez. Mas há filmes que é simplesmente impossível deixar de ver, uma e outra vez. Um deles é Casablanca, que já conheço há muito tempo, e que creio que será daqueles poucos filmes que me acompanharão ao longo da vida, uma vez que cada vez que volto a observá-lo descubro coisas novas que me tinham escapado.

Revisto hoje, é impossível deixar de olhar para coisas que não tinha apreciado devidamente, como a composição das personagens ser tão bem delineada para um filme tão curto. Desde os protagonistas até aos secundários, cada uma daquelas pessoas parece ter uma história imensa por trás, cada uma delas funciona harmoniosamente com o ambiente e com o enredo. Vemos alguns dos maiores actores de sempre do cinema em aparições breves - Peter Lorre, Marcel Dalio, Sidney Greenstreet. E constatamos que a mística de Casablanca tem também muito a ver com o que está por detrás do percurso de cada uma daquelas pessoas.

Houve um tempo em que foi assim, que as coisas não pareciam ser só para durar no imediato.

Constato também, para a fama de lamechas que o filme tem, entre muito boa gente que conheço, que o filme é surpreendentemente directo e convincente na sua política de sentimentos. Nada ali está a mais, todas as cenas existem por alguma razão. E isso deve-se muito a Humphrey Bogart e a Ingrid Bergman, que souberam aproximar-se das personagens com o tom certo, transcendendo a sua persona cinematográfica, fazendo algo que nem eles algum dia sonhariam - imprimir na mitologia dos tempos Rick e Ilsa.

1 comentário:

Joao Franco disse...

Em relaçao a ver filmes, no meu caso depende.
Há filmes que gosto de rever e rever, e encontrar coisas que não tinha visto.
Há outros filmes que não gosto de rever, porque nao tem a magia da primeira vez....

Epa o teu irmao é um sortudo!