sexta-feira, 12 de abril de 2013

Há dias os meus trilhos cruzaram-se acidentalmente com a Fnac do Colombo, um sítio que procuro evitar a todo o custo, pelo longo caminho que tem de se percorrer para lá chegar. No meio da multidão aceleradamente consumista, os meus olhos percorreram as promoções de jogos de pc a preço vermelho (as únicas que eu considero com verdadeiros preços de promoção), e descobri este muito interessante ao módico preço de 2,49 €: Death to Spies - Moment of Truth.

Death to Spies é uma espécie de Commandos, em que temos que fazer operações silenciosas, matando uma série de soldados nazis e esconder os corpos, para o alarme não ser activado. A diferença é que em Commandos vemos os nossos homens de cima, aqui temos só um protagonista, e a visão é na terceira pessoa.

O que é especialmente engraçado neste jogo é a sua premissa intrigante. Somos um agente da SMERSH, o serviço de contra-espionagem criado por Stalin durante a guerra (sim, o mesmo que faz aparições na ficção de Ian Fleming), e procuramos eliminar perigos à mãe pátria russa. O facto de não controlarmos as facções americana e britânica é bom, para variar.

Tenso, cheio de suspense, e que nos faz pensar, Death to Spies é o tipo de jogo que me enche as medidas.

Sem comentários: