terça-feira, 21 de maio de 2013

Uma questão de moral

Insomnia é um daqueles filmes que inicialmente tudo aponta para que seja de uma maneira, mas que volvida meia hora há um acontecimento inesperado que muda completamente o rumo
da estória.

Al Pacino faz do polícia veterano de Los Angeles que é chamado a dar apoio a uma esquadra numa terreola do Alaska na solução de um crime violento que vitimou uma jovem. Mas pelo caminho vai jogar um perigoso jogo de gato e rato com o assassino, que o conhece melhor do que ele previa.

Este não é um whodunit, e também não é um filme em que se gere grande suspense em torno da caça ao serial killer (como em Silêncio dos Inocentes), aliás é-nos revelado bem cedo de quem se trata. O suspense gera-se em torno da psicologia do protagonista, da forma como receamos o que ele vai fazer, pois a partir de certa altura deixamos de confiar nele.

Este tipo de filmes nem sempre resulta, pois tem um grandes nomes do cinema de Hollywood a fazer papéis bem intensos em que se pede o máximo de realismo. Mas por eles serem tão bons actores e tão profissionais naquilo que fazem, esquecemos que estamos a ver ficção e a suspension of disbelief funciona plenamente.

Este é também um filme sobre a hostilidade da velhice em relação à juventude, e as formas como os mentores por vezes nos desapontam.

Sem comentários: