segunda-feira, 15 de julho de 2013

Qualquer coisa de sexy

De Palma tem destas coisas - é capaz de fazer filmes histéricos e rebuscados, em que nem a raíz hitchcockiana que consegue salvar o filme (Obsession, Blow Out, Dressed to Kill), como é capaz de nos surpreender pela positiva com filmes que se podem comparar ao melhor que o mestre fez (Sisters, The Untouchables, The Black Dahlia). Passion, o último dele e actualmente nas salas de cinema, apraz-me dizer que pertence ao segundo grupo. É um exercício voraz no thriller erótico, no jogo de espelhos, e uma sátira velada ao poder da cona no mundo do trabalho.

Um filme implacável e imperdível. Se ainda não ficaram convencidos, leiam mais sobre o mesmo aqui e aqui.

Sem comentários: