segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Hardcore

Hardcore, realizado por Paul Schrader (que é mais conhecido pelo seu trabalho como argumentista) no ano de 1979, é um filme muito interessante que funciona plenamente a dois níveis - em primeiro, é uma espécie de continuação de Taxi Driver, com os mesmos ambientes e personagens diferentes, em segundo, é tudo aquilo que Taken com Liam Neeson deveria ter sido e não foi, desperdiçando as oportunidades com as infindáveis cenas de acção.

Em Hardcore assistimos ao genuíno terror de ver um familiar desaparecer do mapa sem explicações, e sem grandes oportunidades de dar tareia à la Charles Bronson nos raptores. Assistimos ao autêntico buraco negro, ao inferno dantesco em que o personagem conservador de George C. Scott tem que se infiltrar, se quiser ter uma remota chance de reencontrar a filha viva. Scott dá uma interpretação monumental, daquelas que nunca são nomeadas para Óscares, mas que são os verdadeiros alicerces do trabalho que admiramos no cinema americano.

Perturbante como muitos filmes de terror aspiram a ser mas não o conseguem, Hardcore é um filme para ser visto por quem não tem medo de olhar de frente algumas realidades mais sórdidas que a humanidade pode produzir quando liga uma câmara de filmar. Tão essencial hoje como em 1979.

1 comentário:

Joao Franco disse...

parece verdadeiramente interessante!!

Eu sempre gostei de mistérios de desaparecimento. Há sempre um amplo campo, até maior que o crime de assassinato.

Infelizmente os filmes pos modernos da actualidade, saw's e afins não são terror....são gore, ou terror da pipoca


Are you better Jaws ? :D