segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Sullivan's Travels

Quando muitas vezes me perguntam porque não gosto de ver comédias actuais, creio que a resposta nem sempre é claramente interpretada do outro lado. Penso que, até mais do que o western, a comédia em cinema é um género defunto, que empalidece ao lado do brilhantismo de Chaplin ou de Lubitsch. Não se correm riscos nenhuns hoje em dia nas comédias... ninguém consegue duplicar um plano final a insinuar um ménage à trois (Philadelphia Story) ou deixar um aperto comovido no nosso coração (Modern Times).

Bom, este paleio todo para dizer que revi hoje Sullivan's Travels, que da primeira vez tinha-me passado um bocado ao lado (em 2007 estava tão abananado que quase tudo me passou), e neste momento é a minha comédia favorita. Precisamente por ser tão sério o que se está ali a falar.

O filme narra a estória de um realizador de Hollywood que, farto de fazer comédias e coisas suaves, decide fazer um filme sério intitulado O Brother Where Art Thou?, sobre vidas de pobreza. É gozado pelos colegas, que o rebaixam dizendo que quem nunca passou por dificuldades não conseguirá fazer um filme sobre o tema. É o suficiente para Sullivan decidir fazer-se à estrada, com roupas de vagabundo e 10 cêntimos no bolso, para tentar saber como vive a outra fatia do povo. Escusado será dizer que o caminho não será fácil.

Sinto que já estou a escrever demasiado de novo. Se nunca viram Sullivan's Travels, por favor vejam-no.

Sem comentários: