segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Famílias alternativas

Qualquer coisa me faz voltar ocasionalmente a Almodóvar. Talvez sejam as cores fortes, as personagens que têm sexualidades tão alternativas mas tão isentas de culpa, que se torna quase terapêutico ver filmes do realizador.

Lei do Desejo é dos melhores que vi dele, talvez por ter as paixões tão ao rubro (é uma estória de amor louco), mas por ser realizado com tanta convicção e nunca deixar de ter um sentido e humor vivo que vai pontuando cada acção escabrosa das personagens.

Lei do Desejo é também ajudado pelo seu trio de actores principais muito competente, principalmente Antonio Banderas, que em circunstâncias normais não simpatizaríamos por ser uma espécie de stalker psicopata, mas que no final não deixamos de ter uma certa pena, e a personagem de Carmen Maura, como a irmã transsexual do protagonista, alguém que já levou tanta pancada da vida, mas que não deixa de nos maravilhar com a sua energia e força de vida.

Aliás, algo que perpassa nos melhores filmes de Almodóvar é o amor que ele sente por estas personagens, mesmo quando elas fazem coisas algo condenáveis ele dá-lhes algumas linhas brilhantes, ninguém é totalmente mau aqui. E vê-se que são baseadas em muita gente com que se cruzou e que amou ao longo da vida.

Quer se goste quer não, Pedro Almodóvar é um legítimo autor como há poucos.

1 comentário:

Joao Franco disse...

wow....

Gostei do texto e vejo que gostastes do filme...
Creio que é um dos melhores dele.

Dele ainda me faltam ver uns 3 - o ultimo, e dois da decada de 90 - Kika e Atame